Exposição de Adélia Gonçalves - O Tempo da Água

O Tempo da água
03/30/2019 to 04/28/2019

A exposição “O Tempo da Água” de Adélia Gonçalves no Museu de Aveiro / Santa Joana está patente até ao dia 28 de abril.

Trata-se de uma exposição da autoria de Adélia Gonçalves que apresentará uma multiplicidade de linguagens – fotografia, vídeo e instalação – tendo como elemento comum a água.

 

Desde os finais dos anos 90 que a natureza, a paisagem e o curso dos rios interessam a Adélia Gonçalves. Não exatamente uma paisagem nostálgica, mas uma paisagem de resistência. O seu trabalho é dominado pela água: a água como recurso precioso, fonte de vida e de atividade humana, como questão ambiental e como meio simbólico, ou seja, a água como prática, política e poética.

Este tem sido um tema constante nas suas exposições, bem como nos trabalhos académicos que produziu. Depois dos rios Sena, em França, Douro, em Portugal, Tamanduatei e Tietê, no Brasil, e agora em Aveiro.

 

No projeto que apresenta no Museu de Aveiro / Santa Joana, a água está presente nas suas dimensões conceptual e operativa, nos seus dispositivos – uma pia, um poço, os rios – e no caminho no interior do museu. A exposição pesquisa o carácter de Aveiro, cidade de água, e aborda também as especificidades do seu património e dos rituais sagrados que atravessam os tempos.

A exposição pode ser visitada de terça a domingo das 10h00 às 12h30 e das 13h30 às 18h00.

 

Biografia

Adélia Gonçalves nasceu em Paris, vive atualmente no Porto. Faz um trabalho interdisciplinar focado nos suportes fotográfico e videográfico.

Após ter concluído o Curso Superior de Pintura na ESAP, Porto, faz estágio na Académie des Beaux Arts, Liège (1987), e recebe bolsa do Conselho da Europa para residência em Veneza (1988). Em Paris, concretizou Licence et Maîtrise d’Arts Plastiques, DEUG d’Études Cinématographiques et Audio Visuelles, DEA d’Arts Plastiques Le sens de l’eau dans l’art vidéo, entre 1998 e 2004, na Université de Paris VIIII, onde finaliza atualmente um Doctorat d’Arts Plastiques La Temporalité Aquatique. Recebeu o Prémio Aurélia de Sousa, da Câmara Municipal do Porto (1999); Bolsa de Estudos de Longa Duração no Estrangeiro, do Ministério da Cultura Português (2002/2005); Bourse d’Aide à là Réalisation, Direction des Affaires Culturelles, mairie de Paris.

Tem participado em vários eventos e exposições, em Portugal e no estrangeiro.

 

Fonte: Câmara Municipal de Aveiro

30 de Março a 28 de Abril
Museu De Aveiro / Santa Joana